Sem título

Mundo pequeno
«Aromas de tomilhos
dementam cigarras» (Sombra-boa)
I
O mundo meu é pequeno, Senhor.
Tem um rio e um pouco de árvores.
Nossa casa foi feitas de costas para o rio.
Formigas recortam roseiras da avó.
Nos fundos do quintal há um menino e suas latas maravilhosas.
Seu olho exagera o azul.
Todas as coisas deste lugar já estão comprometidas com aves.
Aqui, se o horizonte enrubesce um pouco, os besouros pensam que estão no incêndio.
Quando o rio está começando um peixe,
Ele me coisa
Ele me rã
Ele me árvore.
De tarde um velho tocará sua flauta para inverter os ocasos.

(...)                                                                   in - Manoel de Barros

Acrílico s/tela/técnica mista/40x30cm/colecção particular

Um comentário:

Hermínia Nadais disse...

Simplesmente... maravilhoso!
A pintura... e o poema!
Obrigada amiga Glória.
Beijinhos e felicidades para todos vós