O colo do cisne

Em vida

Em repouso
ouço-te respirar na penumbra...
sinto a revelação do teu movimento...
adivinho a linha do teu corpo...
... o peso da tua mão no meu peito...
abandonada... pelo sono.

Ouço correr o sangue
nas minhas veias...
neste meu corpo que é teu
aspiro esta essência viva que sou
em ti encontrada, roubada
silenciosamente

Um suspiro
fundo, rouco, perdido
estremece o teu peito...
a própria voz do existir...
código de vida que eu, cego
tento decifrar.

( António Patricio)
Acrílico s/tela/técnica mista/100x60cm/para venda.

Nenhum comentário: